CONSTRUÇÃO MIXÓRDIA


Em algumas obras é possível encarar o imaginário citadino e suas lendas urbanas. Em outras há a presença narcísica dos ermos adeptos das selfies, numa tentativa
de agregar amigos virtuais. Tem também os muros viscerais que cercam as edificações, os quais incorporamos ao longo da vida e somos depois encurralados com a morte.
Até mesmo pessoas que se misturam às construções: paredes grafitadas? Pessoas devoradas pela construção? Simplesmente retrato urbano?

Com base na construção aparentemente caótica e desconexa das grandes cidades se dá a exposição de Charles Oak, (des)organizada a partir de suas próprias experiências urbanas e seus reflexos em obras que agregam pessoas, muros, pichações, grafitti.

As portraits são retratadas pelas cores que partem de uma espécie de apatia cromática, de um cinzento ferroso e vão se reavivando, chegando ao colorido intenso (ou vice-versa?) como os pensamentos oscilantes das pessoas atordoadas pelas mazelas da urbe.

Portanto a exposição traz o que se vê pelas ruas, o que se sente, o que se imagina e o que se crê: uma miscelânea de gente, parede, cor e textura, personificando uma Construção Mixórdia ao
estilo do multicolorido Charles Oak.

Exposição: Construção Mixórdia
Hotel Hilton- Avenida das Nações Unidas, 12901 - Brooklin Paulista - SP
Curadoria: Daniela Delgado